STF Julga Afastamento de Cunha

Respondendo a um pedido do partido Rede Sustentabilidade (partido decepcionante, infelizmente Marina Silva não tem pulso firme para liderar e seus deputados são mais perdidos que barata em dia de chuva), Ricardo Lewandowsky, presidente do STF, agendou para essa sexta feira, dia 5, o julgamento do pedido para afastar Eduardo Cunha da Presidência da Câmara.

Após a aprovaçào do impeachment pelos deputados, todos sabíamos que isso estava por vir. Cunha foi útil para apressar e influenciar o processo, mas após a migração desse para o Senado tornou-se dispensável. E ainda mais que isso: problemático, pois como Presidente da Câmara e na ausência de um vice presidente torna-se o sucessor natural e assumiria a presidência da república temporariamente caso Temer tenha de se ausentar do país – fato que causaria furor, um réu sentado na cadeira da presidência.

Já existem outros pedidos para o afastamento de Cunha, incluindo de Janot, da Procuradoria Geral da Republica, mas o Supremo estava “empurrando com a barriga” até esse momento em que a coisa tornou-se urgente. Afirma Lewandowsky: 

É uma medida extraordinária. A urgência está caracterizada pelo seguinte fato: na próxima quarta-feira [11], será apreciada pelo Senado Federal a acusação contra a senhora presidente da República, que poderá, em tese, ser afastada do cargo, caso recebida a denúncia. Portanto, está caracterizada a urgência na medida em que amanhã será a última sessão antes daquela próxima quarta-feira”

Com base nessa colocação é bastante provável que testemunhemos, ainda essa semana, o afastamento de Cunha da presidência. Justo e correto, cometeu crime tem que pagar… Mas confesso que vai ficar uma pontinha de saudade de assistir às Incríveis Aventuras de Eduardo Cunha. Se o Brasil já teve um anti herói, pode crer que é ele. 

Mas todo superman tem sua kryptonita nê?

Tchau querido.

error: Conteúdo Protegido!