Sergio Machado: O Nêmesis do PMDB?

Temos visto nos últimos dias a divulgação de várias gravações “bomba” reveladas pela Folha de São Paulo e feitas por Sergio Machado, ex-presidente da Transpetro. 

Com sua delação homologada por Teori Zavascki, Sergio Machado torna-se um verdadeiro “homem-bomba”. Além das gravações divulgadas pela mídia, com Romero Jucá (ex Ministro do Planejamento, agora apenas Senador novamente, exonerado após a divulgação das gravações onde revelava sua intenção de parar a Lava-Jato), o senador José Sarney e o Presidente do Senado, Renan Calheiros, reporta-se que também há outras gravações com outros interlocutores, inclusive deputados considerados “satélites” pelos investigadores. Essas outras gravações reforçam os diálogos anteriores.

Que o PMDB estava até o pescoço enfiado na m**** nós todos já sabíamos. Mas é bastante estranho que essas delações tenham vindo à tona exatamente quando o presidente em exercício, Michel Temer, começa a submeter ao Congresso as delicadas medidas necessárias para “endireitar” nossa economia. Lembrando que as delações tem um ponto em comum: implicam que Temer assumiria para “barrar” a Lava-Jato. Para quem tem olhos pra ver, é óbvio que Temer, até o momento, fez o contrário disso. Mas ainda assim esse factóide reforça o discurso ilusório de “golpe” do PT – e justamente na fase de defesa do impeachment.

Fica aí uma lição para nós: planos dentro de planos dentro de planos. Quando a Lava-Jato terminar – e não se iludam, a Lava-Jato não pode ser detida. Qualquer tentativa nesse sentido pode, e vai, desencadear uma revolta popular insustentável – vão sobrar MUITO POUCOS políticom em Brasilia.

error: Conteúdo Protegido!