Passinhos de Tartaruga… Mas Andando

downloadDevagar e sempre. Enquanto Sergio Moro mostrava pra todo o Senado o que é dignidade e competência, o STF votava no primeiro de muitos casos que incriminavam Renan Calheiros, presidente da dita casa. Por 8 votos a 3 os magistrados decidiram: Renan agora é réu.

Tudo começou lá atrás, quando Renan andou saindo com a jornalista Monica Veloso, em 2004. Em 2007, Renan foi acusado de prestar informações falsas ao Senado ao tentar provar que era ele, e não a Construtora Mendes Junior, que pagava  pensão de doze mil reais mensais para a criança. As acusações eram 3: peculato, falsidade ideológica e uso de documento falso. Os ministros votaram e rejeitaram as duas últimas acusações, aceitando a primeira por 8 a 3.  Peculato, ou desvio de dinheiro público, pode dar uma pena de 2 a 12 anos de prisão.

Os ministros que tentaram salvar o derriére do distinto presidente do Senado foram Dias Toffoli, Gilmar Mendes e Ricardo Lewandowski, três que frequentemente votam a favor dos corruptos e da corrupção – notando que Gilmar Mendes deixou às pressas a reunião onde estava tentando desmoralizar Sergio Moro só pra ir tentar ajudar a livrar a cara de Renan. Votaram a favor da condenação o relator, Edson Fachin, e os ministros Luís Roberto Barroso, Teori Zavascki, Rosa Weber, Luiz Fux, Marco Aurélio, Celso de Mello e a presidente do STF, Cármen Lúcia.

Por enquanto essa decisão não afasta Renan do Senado. Ainda existe um debate no STF que impediria qualquer pessoa que seja ré de estar na linha sucessória da Presidência da República, mas foi pedido vistas pelo ministro Dias Toffoli, portanto o assunto ainda não foi resolvido. Caso o assunto seja debatido no STF e aprovado, Renan terá então de se afastar da presidência da Câmara.

Devagarinho, mas estamos andando.

error: Conteúdo Protegido!