Opinião: Sobre Armas e Pessoas

Dois dias atrás um milionário velho e maluco pegou várias armas, se entocou em um hotel em Las Vegas e de lá –  talvez deprimido porque sua vida era uma porcaria, talvez entediado porque tinha dinheiro demais, talvez de saco cheio porque tinha uma namorada feia, talvez porque odiasse música country, quem sabe – saiu atirando pra matar  contra os espectadores de um super show de música country, evento grande, onde um montão de gente estava. Resultado: 58 pessoas mortas mais 489 feridas. O nome dele era Stephen Paddock. Se é que isso importa. O que realmente importa pros americanos e pro resto do mundo – mais pro Brasil, que quer fazer disso um caso-exemplo – é que ele tinha acesso a armas. Muitas armas.

E segundo os repórteres da nossa bem intencionada imprensa, Nevada – onde fica Las Vegas – tem a legislação de armas ‘mais permissiva’ dos Estados Unidos. E também segundo eles, milhares de pessoas morrem todos os anos nos Estados Unidos vítimas das tais armas de fogo que, novamente segundo eles, podem ser compradas em supermercados. Ah e as balas também. Inclusive, segundo a nossa incrível imprensa, você tem de ser um morador de Nevada pra comprar uma arma mas pode comprar quantas balas quiser mesmo sendo turista.

Poisé, poisé.

Armas matam pessoas né?

A gente sabe disso. O Brasil sabe disso, o Rio de Janeiro sabe disso. E como sabe. Mas sabe do que mais? No Rio de Janeiro o cara não compra arma em supermercados. A gente nem tem idéia de como ele consegue a arma. Pode comprar de policial corrupto, roubar de alguém vivo ou morto ou pode trazer de contrabando. Os Estados Unidos são o primeiro pais em número de armas de fogo nas mãos de civis do mundo. Os Estados Unidos permitem que os cidadãos tenham armas de fogo. O Brasil é o oitavo! Onde estão as nossas armas?

Lá no morro.

Ou seja, o Governo não permite que eu tenha… o bandido não perde permissão pra ter.

Aí a gente liga a TV hoje e vê a notícia: um maluco que era vigia de uma creche no norte de Minas Gerais foi lá como quem ia entregar um atestado médico. Ele entrou em uma sala onde as crianças estavam praticando atividades, jogou álcool e ateou fogo nas crianças e em si mesmo. Quatro crianças morreram no ataque mas esse número pode ainda aumentar pois 26 pessoas ainda permanecem internadas. Uma professora também morreu.

O nome dele é Damião Soares dos Santos. Damião não tinha uma arma. Damião era tão louco quanto Stephen. Os atos de Damião são tão inconcebíveis quanto os de Stephen, com o agravante de que Stephen pode ter matado crianças – ele disparou contra uma multidão – mas Damião foi a uma creche para matar crianças.

Crianças.

Damião não tinha uma arma.

Armas não matam pessoas. Pessoas matam pessoas.

Em vez de ficar aí resmungando sobre controle de armas, que tal começarmos a trabalhar um pouco no controle das pessoas? A nossa sociedade está doente. E muitos morrerão até que essa ‘epidemia’ passe.

Com armas ou sem.

error: Conteúdo Protegido!