Operação Acrônimo Pega Sobrinho de Fernando Pimentel

operacao-acronimo
Na manhã dessa terça feira a Polícia Federal desencadeou mais uma fase (a sétima) da Operação Acrônimo – iniciada em maio de 2015 – com quatro mandados de busca e apreensão e dois de condução coercitiva. Um dos objetos de condução coercitiva é Felipe Torres, sobrinho do governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel.images

Alega um delator – Benedito Rodrigues de Oliviera Neto, conhecido como Bené – que Fernando Pimentel teria repassado a Felipe Torres a quantia de 800 mil reais para investir em um restaurante no interior de São Paulo, no qual eles eram sócios.

O outro mandado de condução coercitiva é para Sebastião Dutra, suspeito de emitir notas fiscais falsas na campanha de Pimentel e em obras no restaurante.

Os mandados de busca e apreensão são para a casa de Torres, em São Paulo, a sede de seus restaurantes, em Curitiba, um dos restaurantes em Piracicaba e para a gráfica de Sebastião Dutra.

Ainda vai voar muita caquinha no ventilador….

error: Conteúdo Protegido!