Nadar e Morrer na Praia – ou no Aeroporto

nadador_valeEnquanto alguns nadam para salvar vidas – a exemplo da linda história da atleta refugiada Yusra Mardini – outros nadam, nadam, nadam e morrem na praia. É o caso do atleta americano Ryan Lochte e seus companheiros, Gunnar Bentz e Jack Conger. Os atletas teriam denunciado um assalto de que teriam sido vítimas, inclusive com arma apontada para a cabeça, ao sair para comemorar após as competições.

A internet, é claro, revoltou-se e altos brados surgiram contra a insegurança do Rio e o perigo que os atletas estariam correndo ao vir competir nas Olimpiadas.

O caso é que era tudo mentira. Ryan Lochte e os outros dois atletas teriam se envolvido em uma encrenca, bêbados, e com mulheres e depois, com medo de sofrer as consequências, teriam inventado toda a história. Ryan, após a denúncia, saiu do Brasil bem rapidinho, deixando os outros dois À própria sorte. Após chegar aos Estados Unidos,  mudou sua versão dos fatos ao dar uma entrevista de TV.

Os dois outros nadadores não foram tão rápidos e acabaram pagando o pato. Detidos pela Policia Civil ao tentar sair do país, no aeroporto.

Em entrevista coletiva concedida hoje, 18/08, a Policia Civil declarou que um dos atletas apreendidos confirmou a conclusão das investigações: não houve assalto algum e os atletas haviam bebido e se envolveram em uma confusão em um posto de gasolina.

Resultado? Os atletas serão indiciados por falsa comunicação de crime. Por ser estrangeiros, é capaz que nada aconteça – o que é triste, pois a despeito de todos os problemas que o Rio tem sofrido para levar à frente os jogos olímpicos, com certeza a cidade não precisava de mais essa mentira para acrescentar à má fama.

error: Conteúdo Protegido!