Lava Jato Finalmente Chega no Governo Alckmin

Esperava-se que tivesse acontecido bem mais cedo.

Dentre os documentos apreendidos na última fase da Operação Lava Jato – aqueles que Sergio Moro falou que poderá encaminhar para o STF nessa segunda feira, por conter nomes de pessoas com foro privilegiado – um deles se refere a obras do Governo Alckmin em 2002. Entitulado Mogi Dutra, ele faz referência à obra de duplicação da rodovia. Até aí tudo bem, mas embaixo podemos ler

“valor da obra = 68,730,00 (95% do preço DER)”. Depois, na linha seguinte, a anotação é: “custos c/ o santo = 3,436,500”. A palavra “santo” aparece escrita sobre a palavra “apóstolo”, que foi riscada.”

Essas referências parecem indicar claramente que a empresa Queiroz Galvão – que venceu a licitação com o menor preço – teria dividido o “bolo” com as outras concorrentes, à semelhança do que ocorria na Petrobrás. Existe também uma lista de porcentagens relacionada, tudo manuscrito como podemos ver na imagem.

As assessorias de imprensa dos envolvidos se recusaram a comentar o achado, exceto pola de Alckmin,mque diz que “quem deve dar respostas sobre as anotações é quem fez o manuscrito”. Eles também acrescentam que a Corregedoria-Geral da Administração do estado vai pedir à Polícia Federal permissão para ter acesso aos depoimentos que esclarecem as anotações na segunda feira.

Todos estamos cansados de saber que a corrupção não se restringe a um ou dois partidos e é de total importância que tudo seja investigado sem se olhar filiações ou lealdades partidárias. Avante Lava Jato, MUITO podre ainda vai aparecer, Sergio Moro não pode ser detido, ou essa corrupção toda ficará empesteando nosso país para sempre! 

Que se punam os culpados!

error: Conteúdo Protegido!