Lava Jato: Em Dia Decisivo, Mais Uma Perda

Primeiro de fevereiro. Eleições na Câmara e no Senado. Volta do recesso parlamentar. Volta do recesso do judiciário. Dia da escolha do sucessor de Teori Zavascki na relatoria da Lava Jato.

E dia de mais uma perda para a Operação.

Marcio Schiefler Fontes é um nome desconhecido para a maioria, mas para o STF e mais ainda, para Teori, ele era não apenas muito familiar mas também indispensável. Marcio era o principal assessor de Teori, o juiz auxiliar que acompanhava os processos desde o início.

Considerado um verdadeiro “arquivo vivo” por causa de todo o seu conhecimento sobre a operação, Marcio Schiefler pediu seu desligamento do STF nessa quarta feira. O magistrado retornará para Santa Catarina imediatamente, autorizado por Carmen Lucia.

A perda é grande para o STF e ainda maior para o futuro relator. Se já se estimava que o novo juiz levaria cerca de um ano para ficar a par de tudo sobre a operação – tendo a ajuda de todos os ex-assessores de Teori – o que dirá agora?

O STF sai perdendo, o novo relator sai perdendo, a Lava Jato sai perdendo, o povo sai perdendo. Pergunta-se: quem sai ganhando? A quem interessa que a Lava Jato demore ainda mais?

E pergunta-se: o que teria levado o assessor a pedir seu desligamento?

Coisas que talvez nunca saibamos.

error: Conteúdo Protegido!