INSS: Quer Aposentar Rápido? Seja Ex-Presidente – Mesmo Com Impeachment

1207portalinss-777x437

As coisas andam bem calmas esses dias, sendo que a Operação Lava Jato se vê impossibilitada de prender pessoas devido à lei eleitoral. Mas graças à nossa ex-presidAnta nós nunca ficamos sem assunto. Dessa vez a revista Época escancarou os privilégios de que Dilma gozou – mesmo depois de seu impeachment – quando resolveu se aposentar.

Afirma a revista que menos de 24 horas depois de ser afastada, no dia 1 de setembro, Dilma resolveu que queria se aposentar. Em vez de seguir o cilx7fgwmaauizqprocesso normal e entrar com o processo no INSS e aguardar uns 100 dias em média, como todo mortal normal, a presidAnta pediu ao ex-ministro Carlos Gabas, funcionário do INSS, que a ajudasse. Gabas foi a uma agência do INSS em Brasilia, entrou pelos fundos e foi atendido diretamente pelo chefe do local, Iracemo da Costa Coelho.

Sem qualquer agendamento no sistema ou hora marcada, Gabas conversou com Iracemo e conseguiu resolver em minutos a aposentadoria da ex-presidente, que contabilizou o tempo de contribuição previdenciária de 40 anos, nove meses e dez dias, o que lhe garantiu uma renda mensal de R$ 5.189,82 – o valor máximo possível no INSS.

Após a denúncia, os funcionários responsáveis por ajudar Dilma com seu ‘probleminha’ foram afastados de suas funções e o Ministério do Desenvolvimento Social afirmou que todos serão exonerados.

O Ministério também divulgou uma nota de esclarecimento, que se segue:

Diante da reportagem “Dilma furou a fila para se aposentar” da revista Época, o Secretário Executivo do Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário, Alberto Beltrame, determinou à presidência do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), autarquia vinculada à pasta:

1. A imediata abertura de Sindicância e Procedimento Administrativo Disciplinar (PAD) para apurar responsabilidades dos servidores Carlos Eduardo Gabas, Iracemo da Costa Coelho, Fernanda Cristina Doerl dos Santos e de outros eventuais envolvidos nos fatos ocorridos sem o conhecimento da atual gestão;

2. O afastamento do exercício dos cargos de origem dos servidores mencionados para que, conforme a legislação vigente, não possam interferir no andamento das investigações;

3. Que solicite o acompanhamento dos órgãos de controle para a verificação dos fatos mencionados pela reportagem e também eventual ilegalidade nas alterações cadastrais constatadas

Além disso, o Secretário Executivo exonerou/dispensou dos cargos de confiança ocupados os servidores envolvidos – Iracemo da Costa Coelho e Fernanda Cristina Doerl dos Santos -, ambos designados para os cargos pela gestão anterior. A decisão estará publicada no Diário Oficial da União da próxima terça-feira (4).

Assessoria de Comunicação Social
Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário

É, pra se aposentar rápido no Brasil, só sendo ex-presidente…

error: Conteúdo Protegido!