Impeachment: Sob o Comando de Renan, Mais Lento

Agora que o processo de impeachment está nas mãos de Renan Calheiros – reportadamente um dos poucos aliados que restaram a Dilma no PMDB – podemos esperar uma evolução mais lenta e arrastada do processo. Embora nenhum tipo de lentidão possa resolver os problemas atuais do Governo, a esperança é que eles consigam ganhar tempo para cooptar o apoio de senadores para barrar o processo na votação final, de 2/3. 

Hoje, após uma reunião com líderes de partidos, Renan informou que a comissão que iniciará os trabalhos sobre o relatório será eleita na próxima terça feira, dia 26. A leitura do relatório deverá ser concluída ainda hoje, o que abriria o prazo de 48hs para que os líderes indicassem os membros das comissōes, e a comissão poderia até mesmo ser formada ainda hoje, mas os líderes deixaram claro ao presidente do Senado que isso não ocorrerá.

Segundo Renan, muitos líderes mostraram que seu propósito é atrasar o processo, mas se eles excederem o prazo de 48 hs ele promete que exercerá sua prerrogativa e ele mesmo indicará os membros. Renan também deixou claro que, ao contrário da Câmara, o Senado não terá sessōes às segundas e sextas. As sessōes regulamentares são às terças, quartas e quintas e assim permanecerão.

Uma vez determinados os membros da comissão será marcada a primeira reunião, que pode ser no mesmo dia. São eleitos o relator e o presidente e iniciam-se os trabalhos. Ou seja, eles devem se iniciar lá pelo final da semana que vem, caso o PT não encontre mais maneiras de retardar o processo.

error: Conteúdo Protegido!