Impeachment Passa na Câmara

E depois de um fim de semana tenso, cansativo, desgastante, onde nunca se viu antes na história desse país deputados trabalhando tanto e por tanto tempo seguido, finalmente encerra-se o segundo capítulo da história do impeachment.

De nada adiantaram todos os esforços de Dilma e Lula. De nada adiantou todo o dinheiro gasto com convencimento de deputados. De nada adiantaram os cargos distribuídos a rodo, Diário Oficial publicado aos sábados, reuniōes de sm-terra feitas no Palácio da Alvorada, ameaças, território do Acre devolvido (!), de nada adiantou nada disso. De nada adiantou tentar vincular a imagem de Eduardo Cunha ao “golpe” ou a Michel Temer. Nada funcionou.

Os partidos foram deixando a base do Governo. Deixaram de acreditar em Dilma, no PT, no ex-presidente Lula. A credibilidade foi a zero.

Eduardo Cunha, réu que seja, soube conduzir o processo de maneira impecável. Réu na lava-jato, na Câmara foi presidente. Portou-se de maneira ilibada e afastou toda a apelação das milhares de Medidas de Segurança impetradas pelo Advogado Geral da Dilma – ops da União – junto ao STF.

Resultado: a admissibilidade do processo de impeachment, aprovada por 367 votos a favor – MUITO mais do que os 342 necessários.

Vitória brasileira. Vitória democrática. Vitória popular.

Partimos agora para a nova batalha. Nossos adversários: Dilma, o PT e Renan Calheiros, que, aliado de Dilma, fará de tudo para atrasar o processo.

Vamos que vamos Brasil…. Estamos chegando lá!

error: Conteúdo Protegido!