Impeachment: O Dia Seguinte

“Está autorizada a instauração de processo contra a senhora Presidente da República”

Com essas palavras o Presidente da Câmara, Eduardo Cunha, selou o destino de Dilma Roussef e encaminhou o tão desejado processo de impeachment para sua nova fase. Tão inábil em conquistar aliados quanto tem sido em liderar o país, Dilma assistiu impotente à debandada de supostos aliados e aos deputados honrando o desejo da maioria da população brasileira.

População essa que merece menção. Diferente do que se temia, os brasileiros foram às ruas em paz. Exceto por um atentado ao grande pato da FIESP (assassino!!!) e uma ou duas intercorrências isoladas, o ambiente nas ruas era de paz e democracia. Os grupos portavam bandeiras, usavam camisas, cantavam palavras de ordem, mas invariavelmente respeitavam-se. O ambiente de Copa do Mundo mostrava que o brasileiro, finalmente, está aprendendo que a política é importante, necessária e fundamental para nosso Brasil.

Os detalhes negativos ficam por conta dos deputados. Com a exibição em rede nacional pudemos ver quem são esses representantes eleitos. Esperamos de todo o coração que após algumas das coisas que vimos possamos remover a palavra eleitos no próximo pleito. Afinal, queremos mesmo Bolsonaro, exaltando torturadores? E mesmo com essa atitude patética, queremos Jean Willys cuspindo no rosto de outro parlamentar dentro da Câmara? Nenhum desses dois merece meu voto. Nem o seu! Pensemos bem nisso….

 

O que acontece agora?

A aprovação do impeachment parece ter caído como uma bomba em cima de Dilma, embora fontes reportassem que o Governo já havia reconhecido a derrota na manhã do domingo. Com um pronunciamento marcado para logo após a votação, ela enviou o Advogado Geral da União, José Eduardo Cardoso, para falar em seu lugar e prometeu falar hoje. Cardoso fez um pronunciamento de rotina, dizendo que Dilma não renuncia e esperneando por causa do “golpe”. Dilma ainda não foi vista.

O vice Michel Temer não se pronunciou, dizendo que aguardará até ser o presidente em exercício para tomar qualquer atitude, mas rumores dão conta de que ele conversou inclusive com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, o que sinalizaria a intenção de fazer um governo de foalizão com o PSDB – coalizão muito necessária ao país nesse momento.

Quanto a Dilma, o processo continua.  Ele deve ser entregue hoje ao Senado, que seguirá os seguintes passos:

  1. Eleger uma comissão especial para julgar o caso, formada de 21 senadores e 21 suplentes. Em 48 horas essa comissão tem de se reunir e eleger o presidente.
  2. O relator terá até 10 dias para apresentar um parecer sobre a admissibilidade do processo.
  3. À semelhança do que ocorreu na Câmara, a comissão tem de votar o parecer que, aprovado, é submetido ao plenário. Ao contrário da Câmara, é necessária maioria simples no plenário do Senado para aprovação do parecer – metade mais um
  4. Aprovado o parecer, começa a terceira fase. A presidente é notificada e afastada por até 180 dias – esse é o momento em que Temer assume como presidente em exercício.
  5. Durante esse período a presidente pode expor sua defesa (resta saber se ela poderá usar o AGU para isso ou terá que arrumar um advogado como qualquer mero mortal) e a comissão especial emite um novo parecer, baseado na análise das provas. O novo parecer deve DE NOVO ser aprovado por maioria simples.
  6. Aprovado o novo parecer, inicia-se o julgamento. Nesse momento Renan Calheiros cede o lugar a Levandowsky, presidente do STF, que comandará o Senado para esse procedimento no momento em que a casa se transforma em um tribunal.
  7. Para que Dilma finalmente seja alvo do impeachment, é necessária a maioria absoluta dos senadores (54 dos 81). 
  8. A gente comemora
 
Estamos ainda no início do processo. Ganhamos uma batalha mas a guerra é longa. Muito pode acontecer, como apelaçōes ao STF (comenta-se nos bastidores que já existe mais uma sendo preparada por Cardoso) e Renan Calheiros, aliado de Dilma (sabe Deus por que….) “enrolando” o processo. Os acontecimentos não param. E a gente fica ligado pra informar vocês.
 
Vamo que vamo, o caminho é longo, mas no final, com fé, vai ser #tchauquerida

 

error: Conteúdo Protegido!