Impeachment: As 10 Ações no Supremo

Screenshot_1Exatamente um dia após o impeachment de Dilma Roussef, existem 10 ações no STF sobre o assunto. Oito delas referem-se ao ato de Ricardo Lewandowski que possibilitou aos senadores votar para manter os direitos políticos de Dilma, ‘fatiando’ assim o processo de impeachment. Outras duas são da defesa da ex-presidente: uma delas requisita uma nova votação e a outra a suspensão de todos os efeitos que acabaram com o mandato de Dilma.

A primeira de todas as ações foi protocolada por um nobre: Luis Philippe de Orleans e Bragança, descendente da família real brasileira e líder do Movimento Acorda Brasil. Outras duas são da Associação Médica Brasileira, uma questionando o Senado e a outra o presidente do STF. As outras vem de partidos, o PSL, PV e PSD entre eles, e do advogado Ricardo Damasceno.

No sorteio do STF, as oito ações sobre os direitos políticos de Dilma caíram para Rosa Weber (um pouco preocupante, pois Rosa Weber é gaúcha e foi indicada por Dilma para o SFT. Diz-se que os ministros são imparciais, maaaasss…..). Ja Teori Zavascki está de posse da ação da defesa de Dilma que pede um novo julgamento. Teori TAMBÉM foi indicado para o STF por Dilma, mas seu histórico de decisões tem sido de imparcialidade. Por último, Edson Fachin  –  também indicado por Dilma e fez em 2010 um vídeo pedindo votos para a eleição de Dilma – está como relator da ação que pede que uma liminar provisória suspenda todos os efeitos do impeachment.

O histórico não parece muito bom. À exceção de Teori, os outros dois ministros não tem um histórico de ‘bons’ votos – ou votos contra o PT – e podem acabar nos surpreendendo.

É esperar pra ver…

error: Conteúdo Protegido!