Governo Temer: Mais um Problema Feminino

Parece que o Presidente em Exercício Michel Temer não dá mesmo uma dentro quando o assunto é representatividade feminina. Primeiro ele foi criticadíssimo (injustificadamente, em minha humilde opinião) por não ter incluído em seu ministério nenhuma mulher. Para tentar resolver esse problema, Temer tomou medidas que vão desde fazer uma média com as parlamentares femininas até adicionar grandes nomes desse universo a seu governo, a exemplo de Maria Silvia Bastos Marques, nova presidente do BNDES.

Mas quando tudo parecia estar melhorando, eis que novos problemas surgem. Escolhida por Temer como nova Secretaria de Politicas para Mulheres, a ex-deputada Fatima Pelaes já entrou chutando o pau da barraca, alardeando ser contra o aborto “até em caso de estupro” – apesar de afirmar que suas convicções pessoais não interfeririam em seu tranalho. Além disso, Fátima (filiada ao PMDB e amiga pessoal de Temer) é investigada na Justiça Federal por ter participado de um esquema que desviou R$ 4 milhões do Ministério do Turismo para capacitação de profissionais no Amapá. O esquema foi desvendado pela Operação Voucher, em 2011.

A evangélica Fatima nega ter participado do esquema ou lucrado com ele e colocou seus sigilos fiscal e bancário à disposição do Ministério Público. Ainda assim, após ter perdido 2 ministros por envolvimento na Lava Jato, era de se imaginar que Temer perceberia sua situação precária e evitaria nomearvqualquer pessoa minimamente envolvida em qualquer tipo de corrupção. 

Não evitou.

error: Conteúdo Protegido!